Blog


Cada um tem sua listinha de razões pelas quais os projetos falham. A maioria das pesquisas apontam motivos muito parecidos, sempre tendo escopo no início da fila. Faz muito sentido este grande vilão aparecer na lista dos mais procurados:

  • A própria natureza dos projetos envolve muita ambiguidade sobre o que deve ser feito, ou seja, uma definição clara do escopo requer um bocado de energia aplicada;
  • A instabilidade de escopo demonstra que ele não foi suficientemente planejado. Todos sabem da dificuldade de determinar o escopo, mas poucos dedicam tempo adequado neste planejamento. É o famoso “fazejamento”;
  • O péssimo costume de muitos em definir o que fazer, ou seja, o próprio cronograma, antes de definir o que entregar. Tornar claras as entregas e os requisitos do projeto é essencial para garantir que seu cronograma será seguido depois.
  • Numa tentativa de ganhar tempo, o gerente de projeto restringe as partes interessadas com quem irá interagir. Logicamente alguns destes aparecem no decorrer do projeto com poder e influência acima do imaginado, com seus requisitos para serem considerados;
  • A dificuldade em “tangibilizar” a entrega dificuldade num acordo claro e explícito com o cliente do projeto sobre como considerar a entrega pronta, facilitando o aceite rápido e que evite o aumento do escopo quando a gente deveria ter coisas prontas.
  • A pressão da execução e das mudanças durante esta fase são uma prova de fogo para o gerente de projeto. Se planejar bem o escopo demonstra maturidade e experiência, controlar as mudanças seria um nível acima nesta maturidade.

Cada profissional de gerenciamento de projetos tem sua lista de causas e problemas comuns, mas se conseguirmos controlar os efeitos destes itens acima, as chances de sucesso do projeto serão realmente muito maiores.

Abaixo a pesquisa publicada no blog do PMI (Voices of Project Management). Apesar de não ser estudo amplo, os resultados destas pesquisas são comumente muito parecidos.




Fonte: Blog Voices on Project Management, citado na PM Network, do PMI ed. Maio/2012





Precisa de uma ferramenta de gerenciamentode projetos e atividades simples e rápida?

Conheça o Artia – 100% web e muito rápida de implantar.



Jackson Rovina

Comentários

Comentários
Farhad Abdollahyan (@farhadak)

Caro Jackson,

“Descontrole de escopo e/ou mudança de requisitos” são efeitos e não causas de falhas nos projetos.

De fato, requisitos mudam e consequentemente a solução deve ser outra por uma série de razões (verdadeiras causas):
(1) Não houve uma justificação consistente via um Business Case ou EVTE.
(2) Os objetivos do projeto não alinham com objetivos e estratégias do negócio.
(3) Decisão tomada politicamente para iniciar um projeto em função da falta de governança corporativa.
Assim os requisitos não serão devidamente levantados ou priorizados. Pode ser por pressa, pressão política ou incompetência, pouco importa!

Jackson Rovina

Farahd,
A pesquisa não é minha, então eu não poderia influenciar a lista de causas.
Concordo que o estudo de causa raiz nos levaria a outras causas que justifiquem o problema, mais explícitas e que facilitem alguma ação e interpretação do problema.
A lista de causas raiz para este problema pode ser extensa, algumas delas você citou.
Mas também devemos ponderar que a análise de causas raiz nos leva à uma arvore de causas infindável e diferente em cada organização.
Por exemplo:
- descontrole de escopo ocorre porque não se planeja suficientemente.
- não se planeja suficientemente porque existe interferência da alta administração no ciclo de planejamento
- existe esta interferência porque não existe cultura de projetos
- não existe cultura de projetos porque….
enfim, não acaba, acho que não podemos limitar as causas reais a sua lista, mas elas são efetivamente causas que justificam muitos efeitos negativos nas organizações. Também poderíamos procurar as causas rais por trás delas.
Obrigado pelo comentário, bastante pertinente.

Artigos relacionados

    

Artia 2012 ® Todos os direitos reservados.