Sistema de Gestão de Projetos

Desde o início do Artia, sempre mantivemos em mente nosso desejo de desenvolver um produto de forma colaborativa, até mesmo por causa das característica do produto, um Sistema de Gestão de Projetos na nuvem com acessbilidade e facilidade de uso.

Tivemos muitas influências de pensadores e modelos adotados pelo mundo:

  • CPD (Collaborative Product Design);
  • Peer Innovation;
  • Mass Collaboration e Ideagoras (estes três muito disseminados pelos autores do Wikinomics);
  • Open Inovation;
  • Crowdsourcing;

Dentre uma lista infindável de nomes para expressar o envolvimento extensivo das pessoas no que fazemos.

Era isto tudo que a gente queria mesmo, que as pessoas nos ajudassem a direcionar nossos esforços para que ao final o produto seja aquilo que as pessoas desejam. Logicamente uma parte da definição do produto precisou ser nossa, pois precisaria refletir a nossa estratégia.

Então fizemos uma série de opções para isto, e abaixo as descrevemos para também compartilhar com esta comunidade o nosso “jeito de desenvolver”.

1. Rolling Roadmap

O Product Roadmap é a representação dos requisitos selecionados para implementação na linha do tempo.

Embora tenhamos um Product Backlog (lista de requisitos) com a maioria dos requisitos desejados priorizados, eles não são inteiramente transferidos para o Product Roadmap.

Nosso Roadmap prevê o planejamento quase completo do mês corrente (90%), com percentuais decrescentes de carga de equipe planejada a cada mês, completando assim seis meses a partir do atual e uma sétima coluna para os seis meses seguintes. O percentual não planejado fica aberto para que possamos decidir o que faremos de acordo com as sugestões e reações dos usuários.

Mensalmente reavaliamos o Roadmap e rolamos ele um mês para frente e adicionamos requisitos para os meses atual e seguintes.

2. Sistema de Liberação Progressiva do Produto

Optamos por convidar usuários desde o comecinho do desenvolvimento, testando interfaces, conceitos e o produto. Os primeiros convidados acessaram o produto cerca de 18 meses antes da liberação oficial, que ocorrerá no final de 2011.

Embora envolva um risco para o produto com alguma frustração de expectativa dos usuários, para nós representa um forte canal de feedback com esta comunidade.

Para amenizar um pouco este efeito negativo, criamos um limite de convites por fase.

Na fase de protótipo de aplicação, poucos usuários convidados, na fase de validação de interface, algo em torno de 20, no que chamamos de pré-beta já esperamos algumas centenas e alguns milhares no beta. Assim esperamos algumas dezenas de milhares de usuários quando o produto for lançado.

3. Qualidade

Para que nossos usuários nos acompanhem em todas estas fases sem o desgaste de erros primários de sistema, montamos uma equipe muito eficaz e selecionamos algumas das melhores práticas e ferramentas do mercado para testes. Também trabalhamos com um método chamado TDD – Test Driven Development, onde o desenvolvimento inicia pelo teste.

Temos uma cobertura muito alta de testes automatizados, que são executados de forma sistemática em várias etapas do desenvolvimento.

É uma característica chave para que possamos fazer liberações frequentes de produto com baixo risco e uma boa sensação de uso para os usuários.

4. Utlizando o Scrum para desenvolver o Sistema de Gestão de Projetos

Optamos pelo Scrum como metodologia para desenvolvimento do software. Entre outras características o Scrum incorpora em seus princípios algumas características muito aderentes ao nosso modelo de Planejamento Colaborativo:

Liberações frequentes de produto: a cada 2 semanas (tempo das nossas “Sprints”) liberamos uma nova versão de produto para os usuários. Em praticamente todas haverá alguma função nova para uso pelo usuário, uma característica expressiva do Scrum;

Flexibilidade para alteração do escopo: O escopo da Sprint corrente é sempre firme, o próximo está normalmente definido e temos muita flexibilidade para alterar as seguintes, também um princípio muito forte do Scrum;

5. Sugestões e Votação de Requisitos

Todo usuário pode sugerir o que gostaria no produto ou votar nas sugestões de outros usuários.

Logicamente, temos muito interesse em implementar aquelas sugestões mais votadas. Mesmo naquelas sugestões já planejadas por nós, buscamos complementações nas sugestões.

Conforme a sugestão é aceita e entra para o Product Roadmap, nós a marcamos como Planejada e quando estão disponíveis para uso no produto, aparecerão como Feitas, permitindo o acompanhamento do planejamento.

A página também permite assinatura para acompanhar as sugestões e votações.

Aproveito para agradecer os primeiros usuários que participaram das sugestões e priorizações: Felipe Correa da Silva, Douglas Guilherme, Junior e o RFerro (lá de Portugal!).

6. Comunicação

Criamos alguns canais de comunicação com os nossos usuários.

Alguns estão a disposição para acesso “on-demand” como o portal principal (artia.com), com blog, artigos, notícias e informações diversas, e um portal de suporte, com opções de fóruns, perguntas frequentes, artigos explicativos, comunicados, página para chamados e suporte técnico. Também disponibilizamos conteúdo em locais como o Yoube, Vimeo e diversas redes sociais.

E também distribuímos, de acordo com opção de cada usuário, uma newsletter quinzenal e e-mails que auxiliam o entendimento do sistema.

Todo este conteúdo fortalece o compartilhamento de informações e facilita a colaboração desta comunidade.

7. Teste de Protótipo

Temos feito de forma sistemática os testes de protótipos. As interfaces (telas) são produzidas e antes de codifica-las fazemos um teste de reação com alguns usuários, realimentando as definições antes mesmo do desenvolvimento do software. Quase sempre obtemos algum feedback positivo que afeta a interface criada.

Por enquanto envolvemos usuários mais próximos fisicamente, mas em breve esperamos dispor de um espaço no site para validar os protótipos com mais pessoas.

8. Apadrinhados

Periodicamente escolhemos alguns usuários para um acompanhamento mais próximo, para entender o que gostou mais ou menos no produto, o que está fácil ou difícil de entender e o que precisaria para que seu dia-a-dia se tornasse muito mais produtivo. Esta atividade inclui acompanhar de perto o uso do produto, perguntar, ver e discutir o produto.

São apadrinhados pois normalmente alguém do time do Artia assume este papel.

Mensalmente analisamos o resumo desta avaliação e afetamos o nosso Product Backlog e Roadmap para que o produto fique a cada dia mais próximo do que nossos usuários desejam.

Que tal? Alguma sugestão para melhorar nosso Planejamento Colaborativo? Faça aqui seu comentário e participe.

A importância da Gestão de Projetos

Você sabe o quanto a Gestão de Projetos pode ajudar a melhorar os resultados da empresa?

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Neste nosso webinar, vamos explorar a importância de organizar seus projetos para que você atinja melhores resultados.