O fim da pandemia não deve ser o fim do home office: entenda

Ultima atualização em: 29|04|2020

Para evitar um avanço muito veloz da pandemia do Coronavírus, países do mundo todo adotaram medidas de isolamento social. As empresas nas quais o home office era uma possibilidade adotaram esse modelo de trabalho.

Entretanto, o trabalho remoto não precisa ser realizado apenas nesses casos. Infelizmente, a primeira experiência de diversas empresas com o home office foi feita às pressas em meio a pandemia, mas, a verdade é que essa modalidade de trabalho pode ser muito benéfica em tempos normais. Hoje vamos te mostrar porque o fim da pandemia não deveria ser o fim do home office. Vamos conferir?

Por que o fim da pandemia não pode ser o fim do home office?

1-      Ganho de produtividade

Isso pode surpreender alguns adeptos de modelos de trabalho mais tradicionais, mas há estudos que mostram que trabalhar em casa, na maioria das vezes, ajuda a aumentar a produtividade do colaborador.

Um estudo da Universidade de Stanford mostrou que pessoas trabalhando em casa demonstram uma produtividade 13% superior. E um estudo da Peak Sales mostrou que o aumento de produtividade ocorreu em 77% dos participantes da pesquisa.

Isso se deve a diversos fatos. Primeiramente, porque o colaborador não precisa enfrentar o trânsito só para poder começar a trabalhar. Por exemplo: o paulistano leva, em média, 1 hora e 57 minutos para se deslocar pela cidade diariamente para trabalhar e estudar, segundo estudo realizado pelo Ibope em 2018.

Depois, porque o colaborador pode ter um ambiente sob controle no conforto de sua casa, evitando interrupções de colegas ou ruídos indesejáveis, por exemplo, além de trabalhar onde se sentir melhor.

2-      Redução de custos

Adotar o modelo Home Office pode ser financeiramente interessante para muitas empresas. Isso porque manter todos os colaboradores em uma estrutura física envolve diversos custos, como taxas de energia e água, vale-transporte, etc.

No trabalho remoto, há alguns custos. Por exemplo: a lei do trabalho remoto estabelece que a empresa tem a responsabilidade de oferecer equipamento ergonômico e um treinamento de segurança do trabalho. Entretanto, outros gastos são totalmente cortados, como é o caso do vale-transporte.

Logo, o home office não só traz conforto para os colaboradores, como traz benefícios econômicos para a organização.

3-      Redução de distâncias

Empresas que possuem negócios em âmbito nacional ou internacional já devem saber o quão valioso o home office pode ser. Precisar de um colaborador em um estado ou país diferente não significa que você precisa abrir uma filial lá. O Home office é uma alternativa nesse caso.

Você pode contratar pessoas de diversas localidades e mantê-las próximas por meio de ferramentas digitais, em vídeo conferências e documentos compartilhados online.

4-      Atração de talentos

Imagine poder atrair os melhores colaboradores do país para a sua empresa, independentemente do estado no qual eles residem. Bem, com o Home Office, esse cenário não precisa ficar só na imaginação.

Adotar o trabalho remoto significa que você pode atrair os melhores colaboradores de diversos cantos do país. Ou, por que não, do mundo?

5-      Proximidade com a família

Um ponto positivo do home office para o colaborador é estar muito mais próximo da família. Como o trabalho remoto costuma ser remunerado por atividades, e não por horas, não é incomum dar aquela pausa para dar atenção aos filhos ou mesmo trabalhar com um cachorro no colo. Ou gato também, peixe. Seja qual for o seu bichinho.

6-      Maior independência

Outro benefício importante de citar é a questão da independência. Como já citamos, o mais comum é que o colaborador em Home Office seja remunerado por atividades, e não por horas. Logo, cabe ao próprio colaborador fazer seu horário em seu escritório da forma como preferir.

Isso exige um alto nível de responsabilidade do empregado. Entretanto, também pode ser uma excelente forma de trabalhar como preferir, do jeito que for mais produtivo.

7-      É a vontade de muitos

Um levantamento feito pela consultoria de recursos humanos Randstad mostrou que sete em cada dez brasileiros gostariam de trabalhar em casa ou em outro local. Porém, não possuem essa possibilidade em seu emprego atual.

90% dos entrevistados gostariam de trabalhar de modo mais flexível, para conseguir equilibrar melhor o trabalho e a vida pessoal.

Logo, a demanda pelo trabalho remoto vem, também, por parte dos trabalhadores, que procuram mais conforto na hora de realizar suas atividades.

E como implementar o home office na minha empresa?

Atenção à legislação

O primeiro passo para implementar o home office na sua empresa é prestar atenção na legislação, afinal, pendências nesse quesito podem te gerar problemas no futuro.

Caso um profissional trabalhe majoritariamente no modelo presencial, fazendo home office apenas algumas vezes por semana, as leis trabalhistas mantém-se as mesmas de sempre. Entretanto, quando há mais dias de trabalho remoto do que presencial, entra a lei do teletrabalho (a não ser que o funcionário seja um PJ, mas aí é outra história).

Há algumas responsabilidades a serem assumidas pela empresa, como oferecer equipamento ergonômico e um treinamento de segurança do trabalho, garantindo a preservação da saúde física do empregado.

Além disso, o controle de jornada é dispensável. O teletrabalho pode ser remunerado por atividades, pressupondo que o colaborador pode fazer seu horário em casa. Entretanto, nada impede a remuneração por horas. Essa decisão é algo a ser acordado entre as partes.

No contrato, devem ser especificadas as atividades realizadas (se o pagamento for realizado por atividades), os equipamentos utilizados e as condições para aquisição e uso dos mesmos.

Também é importante negociar um valor que será pago ao colaborador referente aos gastos que ele terá com energia, infraestrutura, alimentação etc.

Em geral, o trabalhador remoto também possui direitos como férias, 13º salário, recolhimento do FGTS, vale transporte para os dias nos quais foi necessário deslocamento etc.

Atenção aos equipamentos

Como mencionado no tópico anterior, cabe à empresa oferecer certos equipamentos. É importante disponibilizar materiais como computadores, headsets, monitores, para que o trabalho não seja prejudicado por máquinas que não atendem às necessidades da organização.

Mantenha a interação

Outra questão importante sobre o trabalho remoto é a interação entre os colaboradores. Sabemos que manter empregados em home office pode dificultar o contato entre os profissionais.

Para driblar esse problema, é ideal investir em ferramentas de comunicação. Skype, Hangouts e Matrix são uma boa forma de manter o relacionamento. Além disso, incentivar os colaboradores a manter suas webcams abertas pode aumentar a sensação de proximidade.

Ah, e o Skype não precisa ser apenas para conversas sobre o trabalho, viu? Os colaboradores devem ter a liberdade de conversar normalmente, como fariam em um espaço presencial de trabalho.

Tenha uma política de home office bem documentada

Provavelmente um dos pontos principais depois de planejar o home office na sua empresa, é documentar a sua política de home office.

É nela que ficará estabelecido como essa modalidade de trabalho vai funcionar na sua empresa, desde a frequência com que os colaboradores poderão trabalhar em casa, até os cargos aos quais isso será permitido e os equipamentos que serão cedidos.

Ferramentas necessárias

Fazer home office sem possuir as ferramentas adequadas para isso é uma missão bem complicada. Então vamos logo descomplicando. Listamos algumas ferramentas que podem ser úteis nesse tipo de trabalho. Confira:

Apps de controle de ponto

Caso o controle do trabalho for feito por jornada, é importante utilizar apps de controle de ponto. Esses apps dispensam máquinas de passar crachá pois funcionam em qualquer lugar, basta o colaborador estar com o celular em mãos. Existem muitas opções de apps desse tipo no mercado, vale a pena pesquisar por uma.

Performa home

O performa home é um software desenvolvido pelo Grupo Euax para auxiliar equipes em home office. Ele conta com uma ferramenta de videoconferências, uma plataforma de automação de marketing e vendas, uma plataforma EAD e ferramentas de gerenciamento de projetos e atividades.

O melhor é que tudo funciona de forma integrada. Além disso, o software é 100% gratuito. Vale a pena conferir.

Artia

Por fim, não podemos deixar de citar o Artia, que te ajuda a organizar todas as atividades e projetos de forma simples. O Artia possui lista de atividades, timesheet, kanban online, controles de cronograma e uma série de outras funcionalidades que ajudam a fazer home office sem perder o controle do trabalho.

Não deixe de testá-lo gratuitamente.