Single-tasking e o mito da produtividade multitarefa

Single-tasking e o mito da produtividade multitarefa

Se sua rotina de trabalho envolve listas intermináveis de pendências, se durante o seu dia você pula de galho em galho tentando fazer um pouco de cada coisa para atender a todas as suas demandas, se você tem a sensação de que tudo que é importante era pra ontem, então talvez seja hora de parar para avaliar como você está trabalhando.

A tentativa de fazer várias coisas ao mesmo tempo (“multitasking” no termo em inglês, que não tem versão assim no gerúndio em português) é muito sedutora. A noção de que conseguiremos fazer mais durante o dia é extremamente sedutora, e faremos qualquer coisa que nos faça crer que ganharemos um pouquinho mais dessa commodity tão escassa. Porém, hoje sabe-se que a idéia de que se consegue fazer várias coisas ao mesmo tempo é um mito.

O doutor em psicologia Jim Taylor (doutor mesmo, aqueles com PhD na assinatura) descreve no seu blog alguns conceitos interessantes sobre o mito do multitasking. Segundo ele, na verdade só conseguimos atingir “multitasking” de verdade em algumas condições muito específicas. Por exemplo, quando uma das duas tarefas é tão rotineira que consegue ser automatizada, como dirigir. Outra alternativa é quando as atividades usam áreas completamente diferentes do cérebro, como ler e ouvir música. Como essas condições em geral não são satisfeitas nas nossas atividades de trabalho, a conclusão é que na verdade não somos capazes de ser “multi-tarefas” no nosso trabalho. O que fazemos é alternar entre várias tarefas em intervalos muito curtos de tempo.

O doutor cita uma grande quantidade de estudos que comprovam a ineficácia do “multitasking”, chegando a uma perda de 40% em produtividade segundo alguns estudos, com a perda aumentando conforme aumenta a complexidade do trabalho sendo executado.

O problema é que nosso cérebro precisa de um tempo para se “acostumar” com cada atividade, e só depois desse tempo é que atingimos nosso ponto de maior produtividade em uma dada atividade. Se gastamos um tempo um pouco maior em cada atividade, o impacto desse período ao longo do dia é menor. Entretanto, se trocamos muito rapidamente de uma tarefa para outra, acabamos nos encontrando uma boa parte do tempo nesse momento de baixa produtividade.

Uma vez determinado que o que fazemos no trabalho na verdade não é “multitasking” e sim “serial tasking”, isto é, alternar rapidamente entre atividades, a solução parece ser óbvia: faça uma coisa de cada vez, até terminar. É fácil identificar alguns benefícios:

  • Single-tasking nos força a manter o foco e ajuda a refletir sobre problemas complexos;
  • Melhora a capacidade de administrar o tempo, ao facilitar a identifcação de quais tarefas nos fazem perder tempo;
  • Produzimos mais, uma vez que reduzimos o custo associado a trocas constantes de tarefa;
  • Diminui o stress, pois agora estamos lidando com um problema de cada vez.

E como transformar nosso método de trabalho? Veja algumas dicas:

  • Mantenha uma lista completa com as suas pendências, mas durante o dia use uma lista curtinha, só com o que você pretende fazer naquele dia. Se você usa o Artia, use as suas áreas de trabalho, pastas e projetos para a lista completa, e use o “Meu Dia” para manter a sua lista curta. Mantenha a lista do dia organizada e atualizada, e depois esqueça da lista completa.
  • Use uma técnica para lhe ajudar a manter o foco. Recomendo fortemente a Pomodoro Technique, mas qualquer técnica que auxilie na sua concentração serve.
  • Acabe com as distrações. Email não precisa ser respondido imediatamente, então feche seu cliente de email. Fones de ouvido (mesmo sem música tocando) costumam ser ótimos para evitar que o colega ao lado puxe uma conversa.
  • Ataque sua lista até acabar com ela.
  • Faça menos. Isso não significa produzir menos. Significa dar 100% de foco e atenção ao que você faz, e concluir as atividades que você inicia.

Com o conceito de single-tasking, conseguimos extrair um pouco mais de produtividade do nosso dia. Já que não conseguimos adicionar horas ao dia, toda tentativa de extrair mais do tempo que temos é válida. Evidentemente, o conceito de “single-tasking” envolve um conjunto de alterações na nossa rotina de trabalho, e isso envolve disciplina e capacidade de observação e reflexão sobre o nosso próprio trabalho. Não é tão simples quanto parece, mas certamente vale a pena!

Elimine a ociosidade incentivando a equipe com Gamification

Webinar com dicas para engajar a equipe e mante-la focada nos resultados esperados com Gamification

Ao marcar essa opção, você está de acordo com nossa política de privacidade.

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

O conceito de Gamification e por que 40% das 1000 empresas mais bem-sucedidas do mundo usam essa estratégia. Exploraremos algumas estratégias e como aplica-las no dia-a-dia da sua empresa e também cases de marcas que estão fazendo história!