Fast track: acelere os projetos em apenas 6 passos

Fast track: acelere os projetos em apenas 6 passos

Escrito por Roberto Gil Espinha

17 jun 2024

10 min de leitura

Fazer mais em menos tempo e acompanhar as mudanças diárias do mercado são premissas cada vez mais presentes no mundo dos negócios. Nesse cenário, o fast track surge como uma ferramenta poderosa para otimizar o tempo e alcançar resultados de forma rápida e eficiente. 

Quer saber como?

O que é fast track? 

O fast track, ou rastreamento rápido, em português, é um método utilizado para alcançar resultados mais rápidos através da otimização do tempo e aumento da eficiência.    

Essa é uma estratégia muito utilizada na gestão de projetos para reduzir o tempo de entrega e tornar os projetos mais competitivos no mercado. Para isso, é realizada a sobreposição de atividades e trabalhados processos de alinhamento da equipe, a fim de encurtar o cronograma. 

fast-track

IMPORTANTE!  

O fast track é uma estratégia que otimiza o tempo e os recursos disponíveis, trazendo muitos benefícios para os negócios. Porém, ao implementar esses processos mais rápidos, também pode-se comprometer a segurança do planejamento e aumentar a exposição a riscos.  

Por isso, é muito importante que o fast tracking seja utilizado com cautela, para garantir que os benefícios sejam maiores que os riscos. 

| Leia também: 6 etapas para fazer a gestão de recursos 

Prós e contras do fast track  

O fast tracking pode trazer uma grande vantagem competitiva para os seus projetos se utilizado da forma certa. Mas, é preciso estar atento às consequências que ele também pode acarretar.  

Vantagens do fast track 

  • Redução do tempo total do projeto: encurtar o cronograma pode ser crucial para empresas que precisam lançar novos produtos com agilidade ou atender a prazos apertados. 
  • Melhoria na comunicação e colaboração: ao promover o alinhamento entre as equipes, há o estimulo da colaboração e da resolução de problemas de forma mais rápida. 
  • Maior flexibilidade para lidar com mudanças: o projeto torna-se mais flexível para lidar com mudanças no escopo e prazos, porque identifica-se tarefas que podem ser adiadas ou modificadas sem comprometer o cronograma geral. 
  • Potencial para redução de custos: se as entregas são mais rápidas, há menos gastos com recursos e tempo de trabalho, reduzindo os custos gerais do projeto.  

Desvantagens do fast track 

  • Aumento da complexidade do gerenciamento: exige um acompanhamento mais minucioso do projeto para que ricos negativos não afetem as entregas.  
  • Risco de sobrecarga de trabalho: ao sobrepor tarefas e acelerar o ritmo de trabalho, pode-se levar à sobrecarga para os membros da equipe e aumentar o risco de erros. 
  • Dificuldade em encontrar tarefas independentes: nem sempre é possível encontrar tarefas independentes que possam ser sobrepostas sem gerar problemas, limitando a aplicabilidade deste método em alguns projetos. 
  • Potencial para retrabalho: se o planejamento não for adequado ou se surgirem imprevistos durante a execução do projeto, pode haver retrabalhos e o tempo de execução ser prolongado. 

Apesar dos altos riscos e potenciais desvantagens, o fast track é uma boa opção em vários cenários. Veja alguns exemplos:  

Exemplos de quando usar o fast tracking  

O fast tracking é uma estratégia poderosa na gestão de projetos que visa acelerar a entrega de resultados sem comprometer a qualidade. Assim, ele pode ser um trunfo para reduzir atrasos e aumentar a competitividade em diversos setores. 

Lançamento urgente de produtos ou serviços 

Cenário: a equipe de TI precisa lançar um software com uma nova tecnologia que surgiu no mercado rapidamente para manter a competitividade da empresa. 

Solução: através da sobreposição de atividades de desenvolvimento e testes, otimização da comunicação entre as equipes e uso eficiente dos recursos disponíveis, o fast tracking pode acelerar o processo de desenvolvimento e garantir o lançamento do software dentro do prazo. 

Implementação de soluções críticas para o negócio 

Cenário: uma empresa de consultoria precisa implementar um novo sistema de gestão empresarial para um cliente importante. A agilidade na implementação é essencial para que o cliente fiquei satisfeito e veja retornos rapidamente. 

Solução: ao utilizar o fast tracking, a equipe de consultores pode otimizar a sequência de tarefas de implementação, reduzir os retrabalhos e acelerar a entrega do projeto. Isso permite que o cliente comece a utilizar o novo sistema ERP e obtenha os resultados esperados em menos tempo. 

Adequação a mudanças inesperadas no escopo 

Cenário: durante o desenvolvimento de um projeto de software, o cliente solicita alterações significativas no escopo do projeto. Isso impacta o cronograma original e exige que a equipe encontre soluções para manter o projeto dentro do prazo. 

Solução: o fast tracking pode ser utilizado para reavaliar o cronograma do projeto, identificar as tarefas críticas que precisam ser priorizadas e realocar recursos de forma eficiente. 

| Projeto de desenvolvimento de software em 9 passos 

6 passos para aplicar o fast tracking nos projetos  

O fast track é uma estratégia poderosa para acelerar a entrega de projetos, mas exige planejamento e execução cuidadosos. Por isso, para evitar comprometer a qualidade ou a segurança dos seus empreendimentos, siga esses 6 passos: 

1. Estude o projeto e seu cronograma  

Comece por uma análise profunda do cronograma do projeto, considerando escopo, prazos, recursos disponíveis, interdependências entre as tarefas e potenciais riscos. Aqui, o objetivo é avaliar as dependências entre as tarefas e como a aceleração de uma etapa pode afetar o andamento de outras, identificando gargalos e pontos de conflito que podem surgir com o fast tracking. 

DICA! Use uma EAP  

A EAP é uma ferramenta que divide as etapas do projeto em pacotes de trabalho menores. Ao fazer essa divisão você poderá identificar mais facilmente as oportunidades para otimização e sobreposição. 

2. Certifique-se de que o fast tracking é viável e é a melhor opção 

Projetos muito complexos ou com alto grau de interdependência entre as tarefas podem não ser adequados para esse método. Por isso, determine se o fast tracking é uma estratégia adequada e se os recursos disponíveis são suficientes para suportar a aceleração do projeto. 

Considere diferentes alternativas, como a utilização de ferramentas de automação ou a negociação de prazos com stakeholders para entender qual a real viabilidade das soluções propostas. Nessa análise, pondere os benefícios e riscos atrelado a cada opção para verificar se, de fato, o fast track é a melhor opção.  

3. Monte um plano detalhado e realista 

Ao optar pelo fast track, é importante redefinir o cronograma do projeto, considerando as tarefas aceleradas, os novos prazos e as dependências entre as atividades. Elabore também novos planos de contingência para lidar com imprevistos e com os riscos mapeados que possam surgir durante a implementação do fast tracking.  

4. Mantenha o alinhamento com a equipe 

Comunique o novo plano para todas as partes interessadas no projeto, incluindo equipe, stakeholders e clientes. Implemente reuniões regulares com a equipe para discutir o progresso do projeto, identificar desafios e tomar decisões em conjunto. 

5. Implemente uma gestão de riscos eficaz  

Antecipe e gerencie os riscos de forma proativa. Aprenda com as experiências e ajuste o processo de fast tracking conforme necessário, buscando sempre aprimorar a eficiência e a segurança da execução. 

6. Monitore o método de aceleração do cronograma  

Monitore o andamento do projeto de perto através de indicadores de desempenho (kpis) e relatórios periódicos. Realize reuniões de status frequentes para discutir o progresso do projeto e entender como o cronograma celerado está sendo realizado. 

DICA! Utilize uma ferramenta de gerenciamento de projetos  

Para facilitar o acompanhamento do progresso e identificar desvios do cronograma, as ferramentas de gestão de projetos são ótimas saídas. Com elas, é possível acompanhar o desenvolvimento das atividades em tempo real e extrair relatórios automáticos, tendo sempre a visão do andamento do projeto.  

| Leia também: 7 melhores ferramentas de gerenciamento de projetos do mercado 

Ao seguir esse passo a passo, você pode implementar o fast tracking de forma mais segura, maximizando os benefícios e minimizando os riscos. Mas, lembre-se de que essa não é a única solução se você necessita reduzir o cronograma do projeto. Outro método bastante utilizado com a mesma finalidade é o crashing, veja mais a seguir! 

Entenda a diferença entre “fast tracking” e “crashing” 

Fast tracking e crashing são duas técnicas bastante utilizadas no gerenciamento de projetos para acelerar as entregas. Mas, apesar de terem um mesmo objetivo, elas se diferenciam pelo método aplicado.  

fast-track-fast-crashing

Enquanto o fast track foca em otimizar a sequência de atividades, o crashing baseia-se na adição de recursos para acelerar as atividades. Entenda melhor:

Fast TrackingCrashing
MétodoSobreport atividadesAdicionar recursos
RecursosUso eficienteInvestimento adicional
CustosNão se altera ou reduzAumenta
Quando usarQuando há flexibilidade para sobrepor atividades e o orçamento é limitadoQuando há orçamento disponível e uma necessidade crítica de reduzir o tempo do projeto
ExemploRealização simultânea de atividades de design e desenvolvimento de softwareAquisição de equipamentos mais eficientes para aumentar a produtividade
Entenda a diferença entre Fast Tracking e Fast Crashing

Seja qual for o método escolhido para acelerar as entregas, o importante é ter uma boa gestão do cronograma dos seus projetos para assegurar uma execução. Para isso, conte com o Artia!  

Conte com o Artia para gerenciar cronogramas de projetos 

O Artia é um software completo de gestão de projetos, tarefas e equipes que te oferece diversas funcionalidades para otimizar o gerenciamento de cronogramas e acelerar a entrega de resultados. 

Com o Artia, você pode: 

  • Criar cronogramas completos: tenha uma visão panorâmica do projeto, incluindo tarefas, dependências e prazos. 
  • Monitorar o progresso do projeto: acompanhe o andamento das tarefas em tempo real, identifique atrasos e tome medidas corretivas de forma proativa. 
  • Consultar relatórios e indicadores: emita relatórios e acompanhe indicadores de desempenho (KPIs) de forma automática. 
  • Planejar métodos de acelerar o cronograma: utilize o caminho crítico para identificar as tarefas críticas do projeto e oportunidades para sobreposição de atividades. 
  • Alocar recursos: aloque os recursos disponíveis de forma estratégica para otimizar a produtividade da equipe. 

Experimente o Artia gratuitamente por 10 dias e comprove como ele pode te ajudar a gerenciar seus projetos com mais eficiência e agilidade! 

Dúvidas frequentes sobre Fast Track

O que é fast track e fast tracking?

fast-track

O fast track é um método que objetiva alcançar resultados mais rápidos através da otimização do tempo e aumento da eficiência.   

Qual é a diferença entre fast tracking e crashing? 

fast-track-fast-crashing

Fast tracking e crashing são duas técnicas utilizadas para acelerar as entregas nos projetos, mas que se diferenciam pelo método aplicado. Enquanto o fast track acelera o cronograma através da otimização da sequência de atividades, o crashing baseia-se na adição de recursos para acelerar as atividades.  

Roberto Gil Espinha
Com mais de 20 anos de experiência em projetos com especial ênfase em Finanças e TI, vários destes como executivo da Datasul, atual Totvs. Atualmente é sócio Diretor da Euax, e lidera a equipe que desenvolve e comercializa o Artia, uma ferramenta inovadora voltada para a Gestão de Projetos. Também atua como consultor em empresas na estruturação de seus processos e metodologias de gestão de projetos, infra de TI e na adoção de boas práticas de engenharia de software. Bacharel em Administração de Empresas, com especializaçõe em Gestão Empresarial pela FGV-RJ e em Engenharia de Software pela PUC-PR. Certificado PMP e PMI-ACP pelo PMI, ITIL Foundation pelo EXIM e CSM, CSP pela Scrum Alliance.